13/12/2015

A infundada proibição do casamento gay por parte do cristianismo

Arco-Íris em Paulínia, cidade do interior de São Paulo. Para o cristianismo, o arco-íris é o símbolo da aliança que Deus fez com Seu povo. O arco-íris também é o símbolo da bandeira do movimento LGBT. Imagem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

     Muitos cristãos (fundamentalistas ou não) tem um discurso de reprovação quando o assunto é o casamento gay (a atitude não é muito diferente quando o assunto é transgênero e LGBTs, mas o foco aqui será a união homoafetiva). Opiniões à parte, será que ninguém nunca parou para pensar porque a Bíblia reprova o casamento gay? 
     Antes que venham querer me lançar na fogueira, eu só deixo bem claro que a Bíblia, apesar de ser um livro sagrado (para quem crê) é um livro sujeito a críticas e questionamentos. O que estou fazendo aqui é expor o meu questionamento com relação aos ensinamentos bíblicos concernentes a este assunto. 
     Se você parar para analisar os ensinamentos bíblicos, verão que os mesmos tem uma finalidade. Em Êxodo 20. 13 está a ordem "Não matarás", um dos 10 mandamentos. O direito a vida é algo a qual todos tem e ninguém tem o poder tirar (embora alguns acham que tem esse poder) o mesmo. Logo, quando se mata alguém, este direito é tirado. Além disso, o assassinato é algo muito doloroso para os parentes e amigos da vítima porque a morte é algo que não tem volta. Logo, quando uma pessoa morre, ela nunca mais voltará (se bem que o espiritismo acredita na doutrina da reencarnação, mas este não é o assunto do texto). Outra passagem bíblica que pode ser exemplificada aqui é outro mandamento bíblico. Em Êxodo 20. 14 está escrito "Não adulterarás". Quando duas pessoas se casam, elas se unem física e emocionalmente em um sentimento mútuo, que é o amor. O adultério quebra a aliança que foi selada no casamento, trazendo muita dor para o cônjuge traído. Se o casal tiver filhos, a situação se torna ainda mais grave, pois de uma forma ou de outra a atitude cometida afeta os filhos do casal, trazendo discórdias, mágoas e ressentimentos. Por fim, a última passagem bíblica aqui exemplificada é o mandamento "Não furtarás", que se encontra no versículo 15 do livro de Êxodo. O roubo é quando uma pessoa toma para si algo que não lhe pertence. Um exemplo: por dois anos você economizou dinheiro para comprar um carro. Você deu todas as suas economias em um automóvel e ainda está pagando as parcelas do mesmo. Você está voltando para casa depois de mais um dia de trabalho e aí seu carro é roubado. Seu automóvel, que tanto lhe custou e que você ainda está pagando, é tirado de você a força. Esta atitude é uma falta de respeito com você, pois muito te custou o carro e agora ele lhe foi tirado.
     Agora, não é possível ver uma finalidade quando a Bíblia se opõe a união homoafetiva. O homossexual é aquele que sente atração emocional e sexual por pessoas do mesmo sexo que o seu (homens que se interessam por outros homens e mulheres que se interessam por outras mulheres). Um homossexual não faz mal a ninguém só porque ele é homossexual. Um gay é alguém que ama outra pessoa do mesmo sexo que o seu e que mal pode haver nisso? A homossexualidade só é condenada porque "dois iguais não reproduz", como disse Levy Fidelix em um debate em 2014? Em junho, a Suprema Corte dos EUA aprovou o casamento gay em todo o território norte-americano (antes ele só era permitido em alguns estados) e fotos com as cores do arco-íris foram vistas por todo o Facebook. O fato virou assunto na rede e não demorou muito para que a ala cristã/conservadora/fundamentalista se manifestasse diante do feito. Foi nesse contexto que vi uma foto de duas tomadas "macho" com uma frase que dizia mais ou menos assim: "juntar até junta, quero ver "dar a luz" ". A tomada "macho" é aquela que tem duas extremidades para se enfiar no buraco e a tomada "fêmea" é a que contém apenas os buracos. Esta foto foi um trocadilho preconceituoso, já que duas tomadas "machos" não conseguem "dar a luz", ao contrário de uma tomada "macho" e "fêmea". Então o casamento gay só é proibido porque duas pessoas do mesmo sexo não conseguem gerar filhos por métodos naturais? E se pessoas do mesmo sexo conseguissem se reproduzir naturalmente, será que o homossexual seria aceito na sociedade? 

'Meme' que circulou na rede após a Suprema Corte dos EUA aprovar o casamento gay em todo o país. A foto de duas tomadas "macho" foi um trocadilho com os casais homossexuais, uma vez que os mesmos não conseguem reproduzir por meios naturais. E se pessoas do mesmo sexo conseguissem ter filhos naturalmente, será que o mesmo seria tolerado pela sociedade? Imagem: Reprodução Facebook.

     Além disso, é no mínimo estereotipado o modo como a ala cristã/conservadora/fundamentalista encara o homossexual. Para estas pessoas, o homossexual é uma pessoa que só pensa em sexo o tempo todo e que não consegue se manter em uma relação estável. Existem homossexuais que são assim, mas não são maioria. Há também heterossexuais que se encaixam neste perfil, fazendo sexo a todo instante e que não consegue ficar por muito tempo com uma pessoa só. 
     Talvez porque antes não se falava muito sobre isso e agora o assunto está em evidência ou este é um fenômeno recente mesmo; o fato é que atualmente a quantidade de homossexuais oriundos de família evangélica é incrivelmente grande. Eu mesmo conheço vários e praticamente todos eles deixaram de frequentar a igreja por conta da orientação sexual. Entrei para a Assembleia de Deus quando tinha 13 anos de idade (antes eu já havia frequentado a mesma por conta da minha mãe, que já foi assembleiana há muitos anos atrás) e por conta de minha faixa etária, eu integrei o conjunto de adolescentes. Um tempo depois de eu ter entrado para o conjunto, outro garoto veio para integrar o mesmo. O Henrique (nome fictício) era um adolescente de conduta exemplar e que não dava trabalho a ninguém, ganhando elogios da liderança. Era envolvido com o conjunto e um cristão fervoroso também. Passaram-se cerca de dois anos e o Henrique saiu da igreja e retornou, mas depois saiu novamente. Foi nesse "vai e vem" que ele se assumiu homossexual e foi morar com outro homem. Perto de onde moro há uma Assembleia de Deus, a  maior da localidade. Os eventos organizados pela mesma sempre atraem muita gente e a denominação é uma referência para outras denominações, principalmente para as outras Assembleias de Deus. Nesta igreja havia uma jovem que ia para os cultos (principalmente congressos) sempre bem arrumada, com gravata e tudo. Ela tocava bateria e muitos a admiravam. A Gabriela (nome fictício) é lésbica e sua sexualidade veio a tona. Como ela era da igreja matriz ( a "igreja mãe", que tem outras igrejas que lhe são subordinadas, "as filhas"), a igreja referência, logo o assunto se espalhou e isso causou um escândalo sem precedentes. Hoje a Gabriela faz parte de uma banda secular e tem um relacionamento estável com outra mulher. Uma conhecida minha de longa data tem um casal de filhos. A filha menina era uma católica fervorosa, estava nas missas, tocava na banda da igreja e ajudava o padre. Um belo dia a jovem se assumiu lésbica, bem como a sua paixão por outra garota, a sua melhor amiga e que também era bem ativa na igreja. Eu poderia continuar citando outros assuntos aqui, mas o que já discorri aqui é o suficiente para mostrar uma verdade que muitos não querem ver: a homossexualidade é uma realidade dentro do cristianismo. 
     Se você conversar com vários homossexuais, você vai ter um ponto em comum entre os depoimentos: desde criança que um homossexual sente atração por pessoas do mesmo sexo, se "sente diferente". O discurso da "cura gay" é uma falácia, não cura nada. Se Deus condena a união homossexual, porque então Ele cria filhos homossexuais? Não há uma coerência nisso. A pessoa nasce, sofre preconceito desde a mais tenra idade, enfrenta a rejeição da família, sofre preconceito por parte da sociedade e quando a pessoa morre, a mesma vai para o inferno. Como assim? Que Deus justo é este, que permite que Seu filho se torne homossexual e quando o mesmo morre, manda o mesmo para o inferno? Que Deus justo e sábio é este, que deixa Seu filho sofrer toda sorte de humilhação e depois que o filho morre,  manda o mesmo para o sofrimento eterno? Não me venham com o discurso calvinista, que diz que há pessoas que nascem destinadas ao céu ou ao inferno. Jesus morreu por toda a humanidade sem exceção. 
     A fim de não ficar falando somente a minha opinião em torno do assunto, eu separei aqui algumas passagens bíblicas em que aparece a proibição do casamento gay, bem como a minha opinião sobre as mesmas. Veja:

- Sodoma e Gomorra: a destruição das cidades de Sodoma e Gomorra é uma das passagens bíblicas preferidas dos fundamentalistas para reprovarem o casamento gay. Entretanto, em momento algum a Bíblia fala que a homossexualidade dos moradores foi a razão para que a cidade fosse destruída. O que a Bíblia diz é que "o seu pecado se tem agravado muito" (Gênesis 18. 20), ou seja: a iniquidade dos moradores das cidades de Sodoma e Gomorra tomaram uma proporção tão grande que a situação ficou insustentável, restando somente a destruição.
     Todo bom cristão sabe que para Deus não existe "pecadinho" e nem "pecadão". Isto é uma invenção humana. Se uma pessoa não se arrepende de seus pecados, isto lhe trará sérias consequências. Logo, seria contraditório da parte do próprio Deus destruir duas cidades pelo fato de os moradores terem relações sexuais com outras pessoas do mesmo sexo. Deus tolera a iniquidade de tanta gente, porque não toleraria os homossexuais?

Obs.: há uma passagem no livro de Ezequiel que diz que Sodoma foi destruída porque os moradores da cidade não ajudaram os pobres e necessitados, apesar da cidade ser relativamente rica (Ez. 16. 49-50). 
- Leis do Antigo Testamento (Levitico 18. 22, 20. 13): no livro de Levítico há duas observâncias que reprovam o ato sexual entre pessoas do mesmo sexo (as passagens bíblicas em questão já estão no parênteses). Entretanto, o mesmo livro que reprova a homossexualidade é o mesmo que proíbe coisas como a ingestão de carne de porco (Lv. 11. 07), a ingestão de alguns frutos do mar (Lv. 11. 12), o cruzamento de raças de animais (Lv. 19. 19) e o corte de cabelo (Lv. 19. 27) por exemplo. Porque somente a homossexualidade é lembrada? É fato que vivemos na Nova Aliança e a Antiga já não mais existe (Hebreus 8. 13). Com isso, toda Lei presente no livro de Levíticos e demais livros do Pentateuco não se aplicam aos dias atuais. Entretanto, uma pergunta fica no ar: porque somente a homossexualidade continua sendo proibida?
- Romanos 1. 18-32: neste trecho do primeiro capítulo de Romanos o apóstolo Paulo analisa a imersão da humanidade na iniquidade. Ainda neste trecho, Paulo analisa detalhadamente o processo de depravação da raça humana. O estágio final desta mesma degradação seria a homossexualidade, em que Deus os abandona as paixões infames, em que a mulher nuda o uso natural, contrário a natureza (Rm. 1. 26). O homem também deixa o uso natural da mulher, agindo em sensualidade uns com os outros (Rm. 1. 27). Ainda segundo o apóstolo, a homossexualidade é algo perverso. Com isso, não há amor verdadeiro entre duas pessoas do mesmo sexo.
     É intrigante saber o que inspirou o apóstolo Paulo a escrever tal passagem, mostrando sua visão acima citada em torno do assunto. Vale frisar que o apóstolo Paulo é judeu e o judaísmo, assim como o cristianismo, também condena o ato sexual entre pessoas do mesmo sexo. Sem dúvidas, o lugar de fala do apóstolo influenciou na hora de escrever suas epístolas.
- Ensinamentos de Jesus:  o posicionamento de Jesus acerca da homossexualidade dá margem para várias interpretações. Jesus disse que não veio para quebrar a Lei, mas sim para que a mesma fosse cumprida (Mateus 5. 17). A Lei que Jesus se refere é a Lei de Moisés, a mesma lei que condena o ato sexual entre pessoas do mesmo sexo. Desta forma, uma conclusão possível é que a proibição do casamento gay continua válida depois da vinda de Cristo ao mundo.
     Jesus ensinou que o amor é o maior mandamento que existe e dele depente "toda a lei e os profetas" (Mateus 22. 40). Tenho um amigo bissexual que é um cristão fervososo e exímio conhecedor da Palavra (irei deixar seu nome e a denominação que ele frequenta no anonimato). Este mesmo amigo me disse que o amor é o maior mandamento que existe, estando acima de toda a Lei. Então, uma vez que o amor é o maior mandamento, não há porque a união entre pessoas do mesmo sexo ser proibida, caso as pessoas de fato se amem. Este mesmo amigo disse também que foi por causa do amor que Jesus abriu exceção para o divórcio (Mateus 19. 9), uma vez que o casamento é monogâmico e indissolúvel (I Co. 7. 10-11).
     O fato é que o que há são especulações. Jesus não falou nada especificamente acerca da homossexualidade.

Igrejas inclusivas

Lana Holder e Rosania Rocha se uniram em cerimônia religiosa em 2014. Lana Holder foi (ou talvez ainda é) uma pregadora renomada no Brasil, tendo sua agenda concorrida por pastores de todo o país. Suas pregações somam milhares de visualizações no Youtube. Em suas pregações, Lana se dizia "curada" da homossexualidade. Entretanto, quando ainda estava casada, se envolveu em um escândalo sexual com outra mulher. No meio evangélico brasileiro as pessoas só falavam de Lana Holder. Atualmente, Lana é casada e pastoreia uma igreja inclusiva no Brasil. Imagem: Gospel +.

     Escrevendo este texto não  há como ignorar as igrejas inclusivas. Estas mesmas igrejas não tem muita diferença com relação as denominações tradicionais e conservadoras. Ou seja: a liturgia do culto, os cânticos e o comportamento são muito parecidos. A única diferença é que as igrejas inclusivas são composta majoritariamente por LGBTs (Lésbicas, Gay, Bissexuais e Transgêneros) que, ao assumirem a sua orientação sexual, deixaram  de frequentar as denominações evangélicas que pertenciam porque não foram aceitos. Além disso, estas igrejas realizam casamentos homoafetivos, pregando a castidade até o casamento e a fidelidade após o mesmo.
     Estas mesmas igrejas sugerem uma reinterpretação da Bíblia, em especial com relação aos trechos bíblicos em que aparece a condenação aos atos sexuais entre pessoas do mesmo sexo. Estas denominações são relativamente novas (chegaram ao Brasil entre os anos 1970 - 1990) e sofrem preconceito por parte das denominações tradicionais. Mesmo assim, estas igrejas estão em crescimento constante (segundo reportagem da BBC Brasil de 2012, aproximadamente 10 mil fiéis frequentavam estas igrejas).

Conclusão

     As igrejas inclusivas, bem como as reinterpretações de passagens bíblicas com relação a homossexualdiade, aparecem em um contexto em que o movimento LGBT está mais forte do que nunca, ganhando espaço na mídia e conquistando seus direitos. A proibição do casamento gay por parte do cristianismo é algo sem fundamento algum e quebrar essa lei significa romper com uma tradição milenar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...