25/08/2016

Meu gosto por biografias

Imagem: Reprodução.

     No dia 19 de agosto foi o Dia do Historiador. Por conta disso, resolvi escrever aqui um texto sobre o me gosto pessoal por biografias. A Biografia é o ramo mais vendido da História e ambos dialogam muito bem, uma vez que eu posso estudar determinado período histórico a partir da biografia de uma pessoa. Não sei se vocês já se deram conta disso, mas meu gosto por biografias é percebido neste blog. Aqui, eu já escrevi a biografia de várias persoanlidades e tais textos tem um grande número de visualizações. Já tem quase dois anos ou mais que o texto que conta a vida da cantora evangélica Denise Cerqueira é o mais visto de todo este blog. Aliás, dos oito textos mais vistos deste blog, cinco são biografias (a saber: Denise Cerqueira, Frida Kahlo, Cassiane, Che Guevara e Elaine de Jesus respectivamente). Neste blog, eu já escrevi textos sobre Ayrton Senna, Helena Bonham Carter, Lady Gaga, Xuxa, Grazi Massafera, Juliana Alves, Lula, Fernando Fernandes, Lauriete, Heath Ledger, Cássia Eller, Freddie Mercury, Renato Russo e Cazuza,
     É fato que por mais bem feita que possa ser, uma biografia nunca contemplará o ser humano biografado em sua totalidade, mas a biografia procura chegar o mais próximo disso. O ser humano é complexo e alguns tiveram incríveis trajetórias de vida. Provavelmente, é isso o que me faz gostar tanto de biografias. Li dezenas de biografias e já vi dezenas de cinebiografias. Umas eu gostei bastante, outras nem tanto. Separei aqui as biografias e cinebiografias que gostei bastante e que com certeza veria/leria de novo. Aliás, alguns dos trabalhos abaixo eu já vi mais de uma vez. Confira:

1 - MORAIS, Fernando. Olga

Capa do livro escrito por Fernando Morais. Imagem: Reprodução.

     Li esse livro pela primeira vez quando tinha 14 anos de idade (li esse livro umas duas ou três vezes). O mesmo conta a trajetória política de Olga Benário, revolucionária alemã que se envolve com o político brasileiro Luís Carlos Prestes. Ambos acabam presos no Brasil e Olga, grávida de sete meses de um brasileiro é mandada para a Alemanha nazista de Adolf Hitler. Judia e comunista, Olga era um alvo fácil dos nazistas. Além disso, vale lembrar que a deportação de Olga foi ilegal porque ela estava grávida de um brasileiro e em avançado estágio de gravidez, período em que uma mulher não costuma viajar e o fato de estar grávida de um brasileiro lhe garantia a sua permanência no país. Olga acaba sendo morta em uma câmara de gás. O livro possui uma fácil narrativa, fotos e documentos de Olga e Luís Carlos Prestes. O filme Olga (2004) foi baseado neste mesmo livro.

2 - VINGREN, Gunnar. Diário do Pioneiro

A biografia de Gunnar Vingren foi escrita por um de seus filhos. Créditos na imagem.

     O Diário do Pioneiro foi publicado por Ivar Vingren, um dos filhos de Gunnar Vingren. O livro é um diário de Gunnar Vingren, onde o mesmo narra as suas experiências com Deus ao trazer a mensagem pentecostal à terras brasileiras. O livro é um relato emocionante de um homem de muita fé que vivia na dependência de Deus e pregava a Sua Palavra. No livro, há relatos de curas, milagres, batismos no Espírito Santo, conversões e também perseguições por parte daqueles que não se agradavam da mensagem que Gunnar Pregava. Incrível e emocionante é o modo como ele morreu, simplesmente sobrenatural! Para quem não sabe, Gunnar Vingren e Daniel Berg foram dois missionários europeus que trouxeram a mensagem pentecostal ao Brasil e fundaram em terras brasileiras a Assembleia de Deus.

3 - ARAÚJO, Isael de. Frida Vingren

Atualmente, Frida Vingren é considerada a primeira pastora das Assembleias de Deus no Brasil. Imagem: Reprodução.

     Frida Vingren foi a esposa de Gunnar Vingren. Assim como o marido, Frida era também uma mulher de muita fé em Deus. Multitalentosa, Frida escrevia, compunha, traduzia, tocava instrumentos musicais, visitava presídios, participava de cruzadas, pregava e também pastoreava. Entretanto, pelo simples fato de ser mulher, o ministério de Frida era polêmico e contestador, causando mal estar entre aqueles que eram a favor e os que eram contra o ministerio feminino. Gunnar Vingren era a favor do ministério feminino, mas muita gente não. Com isso, em uma convenção, decidiu-se limitar a atuação das mulheres no trabalho eclesiástico. Durante muitos anos, a memória de Frida foi esquecida, mas atualmente, por conta das releituras da história e o avanço do movimento feminista, a memória de Frida tem sido resgatada e é neste contexto que ela é reconhecida como a primeira pastora da Assembleia de Deus. Isso porque, quando Gunnar precisava viajar, era a Frida a quem ele entregava o pastorado da igreja.
      Há o boato de que Frida enlouqueceu, se internou em um hospicio e perdeu a guarda de seus filhos. Este fato é desmentido no livro de Isael de Araújo. De fato, Frida foi internada em um sanatório, mas foi porque tinha úlcera estomacal e câncer, problemas de saúde que a levaram à morte.

4 - ARAÚJO, Isael de. 100 Mulheres que Fizeram a História das Assembleias de Deus no Brasil

Além de escrever a biografia de Frida Vingren, Isael de Araújo reuniu em um livro a trajetória de 100 mulheres assembleianas brasileiras. Imagem: Reprodução.

     Este é mais um livro do assembleiano Isael de Araújo. A obra reúne 100 mulheres que foram fundamentais na história das assembleias de Deus no Brasil em diferentes épocas. A narrativa é um pouco chata, pois os dados das mulheres são basicamente o ano em que nasceram, onde nasceram, a que igreja pertenciam, campo de atuação e o dia em que morreram. Entretanto, tal obra é válida no sentido de dar visibilidade para as mulheres assembleianas, historicamente silenciadas ao longo da história das Assembleias de Deis no Brasil.

5 - HERMANN, Kai; RIECK, Horst. Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída, ...

O livro foi um grande sucesso em todo o mundo. Imagem: Reprodução.

     O livro conta a vida de Christiane F., uma adolescente alemã de família humilde e desestruturada que mergulha no mundo das drogas. Uma história incrível e atual. Infelizmente.

6 - Revista Época, Coleção Personagens que Marcaram Época. Ayrton Senna

O piloto Ayrton Senna é considerado um herói nacional. Imagem: Reprodução.

     O livro conta a trajetória de Ayrton Senna, um dos maiores atletas do Brasil e também do mundo. O livro dá destaque ao perfil profissional do piloto, seus títulos conquistados, a criação do Instituto Ayrton Senna pela irmã Viviane Senna e algumas das namoradas de Ayrton. Os acontecimentos relacionados à morte de Ayrton possuem grande carga emocional. E isso não é uma característica deste livro em especial. Já li um pedaço do livro Ayrton: O Herói Revelado, escrito por Ernesto Rodrigues. Neste livro em questão, não tem como não se emocionar com os fatos relacionados à morte de Ayrton.

7 - Revista Época, Coleção Personagens que Marcaram Época. Leila Diniz

Peguei este livro emprestado em uma biblioteca da UERJ. Imagem: Arquivo Pessoal.

     O livro conta a história de Leila Diniz, uma jovem e divertida muher que morreu precocemente quando tinha somente 27 anos de idade. Leila era uma atriz que havia sido professora. Sempre espontânea, Leila Diniz falava sem pudor de assuntos tabus, como sexo por exemplo. Tal fato escandalizou a sociedade brasileira nos fins dos anos 1960 e início dos anos 1970, período em que o Brasil vivia uma ditadura civil-militar. A sociedade dessa época era bastante conversadora e não via Leila com bons olhos. Desta forma, Leila passou a não ser chamada para atuar em telenovelas e até foi perseguida pela ditadura. Leila Diniz  morreu em 1972, aos 27 anos de idade, em Nova Dhéli (Índia), quando voltava de uma viagem à Austrália. O avião que Leila estava explodiu no ar, provavelmente atingido por um artefato.
     Nos primeiros anos dos anos 2000, a revista Época lançou a coleção "Personagens que marcaram época". Entre as pessoas biografadas estão: Ayrton Senna, Leila Diniz (já citados aqui), JK, Getúlio Vargas, Che Guevara e John Lennon. Os livros desta coleção são pequenos, de fácil leitura e com bastante fotos. É uma leitura agradável que pode ser feita em qualquer lugar.

8 - SILVA, Julio Claudio da. Uma Estrela Negra no Teatro Brasileiro

Ruth de Souza, uma das mais importantes atrizes negras do Brasil. Imagem: Reprodução.

     Comecei a ler este livro a pouco tempo e já estou gostando. Na obra, o autor analisa a biografia de Ruth de Souza, uma pioneira e uma das mais imporantes atrizes negras do Brasil. A partir da biografia de Ruth, o autor analisa a história do movimento negro no Brasil e a luta contra o preconceito racial no ramo da atuação.

Cinebiografia

1 - Selena, 1997

Foi graças a este filme que Jennifer Lopez ganhou fama internacional. Imagem: Reprodução.

     O filme conta a história de Selena Quintanilla, uma cantora muito talentosa que até hoje é considerada a rainha da música texana e considerada uma das mais importantes cantoras da música latina, perdendo somente para Shakira e Gloria Estefan. Selena foi assassinada em 1995 por Yolanda Saldívar, presidente de seu fã-clube, após descobrir que a mesma a roubava.
         A vida de Selena virou roteiro de um filme homônimo lançado em 1997. No longa, Jennifer Lopez interpreta a protagonista e foi graças a este filme que J-Lo se tornou conhecida internacionalmente. Além disso, a Jennifer está idêntica a Selena e com certeza este é um dos melhores trabalhos de J-Lo como atriz.

2 - Frida, 2002

Salma Hayek ficou idêntica a pintora mexicana Frida Kahlo. Imagem: Reprodução.

     O filme é baseado na vida de Frida Kahlo, uma das mais importantes pintoras do México e também do mundo. No longa, Salma Hayek dá vida a Frida e Alfred Molina interpreta Diego Rivera, outro importante artista mexicano com quem Frida teve uma relação extremamente turbulenta. Salma interpreta Frida muito bem, além de ser parecida com ela, mesmo não estando caracterizada.

3 - Madame Satã, 2002


Lázaro Ramos foi o protagonista do longa. Imagem: Reprodução.

     Madame Satã é o apelido de João Francisco dos Santos, um homossexual brasileiro visto como personagem emblemático da vida noturna e marginal carioca na primeira metade do século XX. Arrumou problemas com policiais e autoridades e, por isso, foi preso várias vezes. Em 2002, foi lançado um filme homônimo baseado na vida de Madame Satã, onde Lázaro Ramos deu vida ao protagonista. O longa foi premiado nacional e internacionalmente.

4 - Cazuza - O Tempo Não Pára, 2004

O ator Daniel de Oliveira interpretou de forma espetacular o cantor Cazuza. Imagem: Reprodução.

     O filme é de 2004 e é baseado no livro Cazuza, Só As Mães São Felizes, escrito pela jornalista Regina Echeverria e pela Lucinha Araújo, mãe de Cazuza. Coube a Daniel de Oliveira dar vida ao protagonista do longa e ele fez isso muito bem. Daniel foi bastante minucioso na construção do personagem Cazuza. Os cabelos, as roupas, as gesticulações, tudo foi muito bem pensado de modo a ficar o mais próximo possível do real Cazuza. Filme excelente!!

5 - Olga - Muitas Paixões em uma Só Vida, 2004

O filme Olga foi um grande sucesso de crítica e público. Imagem: Reprodução.

     O filme Olga foi lançado no mesmo ano em que lançaram o filme sobre o Cazuza, já citado acima. O longa é dirigido pelo polêmico e controverso Jayme Monjardim e tem Camila Morgado, Caco Ciocler e Fernanda Montenegro nos papéis principais. O filme é baseado no livro homônimo de Fernando Morais (já falei sobre ele acima). Tecnicamente falando, o filme é excelente. Bons atores, bom texto, boas interpretações e boa cenografia. Entretanto, ao contrário do livro de Fernando Morais, o filme Olga foca o amor entre Olga e Prestes, deixando de lado a trajetória política da mesma. Com isso, o que se vê é a luta por um amor impossível, um ar totalmente novelesco.
     O professor universitário Flaviano Isolan foi o assessor de História para a direção e assessor de língua alemã para o elenco. Desde 2013 que ele é professor de História Contemporânea na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Ele já foi meu professor e a minha turma na formatura o homenageou!!

6 - 2 Filhos de Francisco, 2005

2 Filhos de Francisco é um belo filme. Imagem: Reprodução.

     2 Filhos de Francisco é um filme que conta a bela e emocionante trajetória de vida da dupla Zezé di Camargo e Luciano, começando pela origem humilde da família, a persistência e o incentivo  do pai, a morte do irmão que até então fazia dupla com Zezé, a ideia de fazer dupla com Luciano e, por fim, o estrelato. O filme é emocionante e tem excelentes atuações, destacando a atuação de Dira Paes no filme, onde ela interpreta a mãe dos meninos. Na época em que o filme foi lançado, Dira estava no ar na televisão interpretando a cômica Solineuza no seriado A Diarista. Em '2 Filhos', Dira nem de longe lembra Solineuza. No longa, Dira Paes interpretou a mãe dos meninos, uma mulher simples, com pouca instrução, sofrida e sempre preocupada com os filhos. Dizem por aí que ator de verdade troca de personagem como quem troca de roupa.

7 - Zuzu Angel, 2006

Patrícia Pillar e Daniel de Oliveira interpretam mãe e filho no longa Zuzu Angel. Imagem: Reprodução.

     Zuzu Angel foi uma estilista brasileira que "comprou briga" com a Ditadura Civil-Militar após a prisão e morte de Stuart Angel, seu filho. Zuzu levou essa briga a altas dimensões, envolvendo até os EUA, uma vez que o pai de seu filho era um norte-americano. Os militares, que até então estavam no poder, não se agradaram com as atitudes de Zuzu. Com isso, os militares sabotaram o seu carro e Zuzu Angel morreu em um acidente automobilístico. O Túnel Dois Irmãos, na cidade do Rio de Janeiro, foi rebatizado de Túnel Zuzu Angel depois que ela foi encontrada morta em um dos acessos ao mesmo. É esta a história que é conta no filme Zuzu Angel, onde Patrícia Pillar interpreta brilhantemente a protagonista. Stuart Angel, o filho de Zuzu, é interpretado por Daniel de Oliveira.

8 - Cássia Eller, 2015

O documentário Cássia Eller foi um sucesso de crítica e levou os espectadores às lágrimas. Imagem: Reprodução.

     Este documentário foi lançado em 2015 e conta a trajetória de Cássia Eller, cantora extremamente tímida que usava a música para extravasar. Rico em materiais e depoimentos, o longa capta a energia com que Cássia viveu a vida, prendendo o expectador. Bem dirigido, o filme leva as pessoas às lágrimas nos acontecimentos relacionados à morte de Cássia.
     O documentário desmente o fato de que Cássia Eller morreu de overdose, boato largamente difundido pelos grandes meios de comunicação. Na verdade, Cássia morreu de infarto.

9 - What Happened, Nina Simone?, 2015

What Happened, Nina Simone? é o um documentário produzido pelo Netflix. Imagem: Reprodução.

     What Happened, Nina Simone? é um documentário produzido pela Netflix e conta a trajetória de Nina Simone, uma cantora de incrível talento que é aceita pela sociedade, mas a partir do momento em que começa a abordar a questão racial em suas músicas, esta mesma sociedade a rejeita; fato que quase a levou à ruína. O longa narra o início da carreira de Nina, quando ela ainda cantava na igreja em que frequentava, quando começou a cantar em bares escondida dos pais ( a adoção de 'Nina Simone' foi para que seus pais não soubessem que ela estava cantando "música profana"), o estrelato, a quase ruína, a música que tocou no comercial do perfume Channel 5 e o recomeço de sua carreira.
      No Super Bowl desse ano, Beyoncé cantou uma música onde denuncia o racismo. A apresentação foi épica, mas teve quem não gostou e realizou uma campanha de boicote contra Beyoncé. Queen B foi comparada à Nina Simone, que foi boicotada por denunciar o racismo. Entretanto, tal comparação é um equívoco, pois o que Beyoncé passou não passa nem perto do que Nina Simone passou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...