03/05/2012

Mais uma vítima do sistema capitalista



          No último dia 1° de maio fez-se 18 anos que um dos ou o maior piloto de Fórmula-1 de todos os tempos saída da vida para entrar não só na história, mas também na vida de fãs e admiradores brasileiros e estrangeiros. A morte desta lenda poderia ser evitada se não fosse as inúmeras irregularidas até então presentes em uma corrida de F-1.
          Foi no dia 1° de maio de 1994 que Ayrton Senna realizava a sua última corrida quando passou direto por uma curva, envolvendo-se assim em um acidente fatal. Este fato aconteceu ao visto e em escala internacional. Horas mais tarde a morte de Senna seria anunciada para todos (ele já estava praticamente morto a muito tempo, mas a morte dele só foi anunciada horas depois porque segundo a legislação italiana - país onde ele faleceu - a pessoa só pode ser considerada morta se seu coração parar de bater, independente desta já ter sofrido ou não uma morte cerebral), iniciando-se assim dias de profunda tristeza e pesar no Brasil e no mundo. Mesmo passados dezoito anos de sua morte, Ayrton Senna deixa muitas saudades e conquista gerações e gerações de admiradores. O jazigo 11, quadra 15, sector 7 do Cemitério do Morumbi em São Paulo , local onde descansam os restos mortais de Senna e visitado com muita frequência, reforçando a ideia de que Ayrton Senna é uma lenda viva da Fórmula - 1 e do Brasil.
          O título deste post tem este nome porque em uns posts do mês de abril foi escrito aqui um texto onde se mostra que o maior transatlântico de 1912, o Titanic foi vítima do sistema capitalista das primeiras décadas do século XX. O Capitalismo é um sistema que visa única e exclusivamente o lucro, ignorando normas de saúde, segurança e até mesmo de proteção ao Meio Ambiente, ou seja: O Sistema Capitalista é insustentável! Estes traços do Capitalismo foram vistos no Titanic que, por conta deste fato, mesmo sendo luxuoso ao extremo, não tinha um número de botes correspondentes ao número de pessoas presentes no navio, os marinheiros e demais responsáveis pela condução do navio não usavam binóculos durante a viagem (porque eles não foram distribuídos) e além disso os avisos de icebergs ao longo do percurso foram simplesmente ignorados porque eram considerados 'avisos desnecessários'. É fato que ao longo do século o mundo capitalista fez e ainda faz muitas vítimas (inclusive fatais) de seu sistema, mas décadas após o Titanic mais uma tragédia causada pelo Capitalismo chocaria o mundo. Estou falando da morte de Senna.
          O acidente fatal em Ímola que ceifou a vida de Ayrton Senna poderia ser evitado se não fosse as medidas necessárias que foram evitadas por aqueles que visam somente o lucro.  Durante a terceira corrida da temporada do GP de San Marino, em Ímola, Rubinho Barrichello se envolveu em uma acidente por conta de ter perdido o controle de sua Jordan. Com isso, Barrichello passou por cima de uma zebra, voou da pista e por fim chocou-se de forma violenta em uma barreira de pneus. Felizmente, Rubinho teve leves ferimentos e assim não se feriu gravemente, mas o piloto austríaco Roland Ratzenberger não teve a mesma sorte. Durante os treinos livres no sábado, o piloto bateu violentamente na curva Villenueve, fazendo com que assim os acidentes na curva viessem a se tornar fatídicos. A asa dianteira do carro de Ratzenberger se soltou, fazendo com que este viesse a perder o controle de seu carro. Levado ao hospital, a morte de Ratzenberger seria anunciada instantes depois. Diante destes fatos, Senna viu a necessidade de se tomarem sérias medidas para que acidentes não mais viesse a acontecer.Senna então reúne um grupo de pessoas com a finalidade de exigir medidas de segurança. É importante lembrar que Senna também conveceu os oficiais de pista a levá-lo ao local onde havia acontecido o acidente com Ratzenberger a fim de ver com seus próprios olhos como era a curva. Este acontecido fez com que Ayrton ganhasse uma advertência e um desgaste maior na relação já desgastada com a FIA.
          Dentro da Fórmula-1, quando acontece uma fatalidade no dia anterior a corrida, esta corrida simplesmente deve ser suspensa, mas não foi isso o que aconteceu. Mesmo com a morte de Ratzenberger no dia anterior, os organizadores da corrida e demais responsáveis decidiram não anular o dia da realização desta, infrigindo assim mais uma legislação dentro do esporte. Mesmo assim, Senna e depois pilotos que correriam no domindo do dia 1° de maio resolveram correr.
          No fatídico 1° de maio, momentos antes do acidente que viria a levar a vida de Senna, o carro de J. J. Lehto morre em plena corrida, fazendo com que os demais pilotos se desviassem dele e a Benetton de Lehto por sua vez dá voltas e voltas na pista. Neste mesmo dia, quando Senna daria a sua última volta, seu carro entra na curva Tamburello, chocando-se violenta e fatalmente sobre o muro de concreto. Seu carro deu várias voltas na pista. Por instantes, pensava-se que Senna sairia vivo desta situação por conta de sua cabeça estar balançando, mas mais tarde descobriria que este movimento nada mais era do que um movimento resultante do choque do acidente. Quando por fim o carro de Senna para na pista, algumas pessoas autorizadas se aproximam do carro recém-acidentado e, percebendo a gravidade deste, resolvem esperar a ajuda médica. A equipe médica por sua vez agiu rapidamente e já dentro do helicóptero Senna passa por uma transfusão de sangue, recebendo assim 4,5l deste elemento vital a vida. Mesmo nestas condições, Ayrton respirava sem a ajuda de aparelhos. No hospital, Senna passa por vários exames e o que chocou Maria Teresa Fiandri, médica que atendeu o piloto em um hospital dedicado as pessoas vítimas de F-1, foi que Senna não tinha nenhum ferimento externo, mas ainda assim seu macacão e o local onde colocaram Senna estavam encharcados de sangue. Quando viraram Senna, viram que o sangue saía da base de seu crânio e o resultado do encefalograma fez com que todos se calassem: "Atividade cerebral zero." Era uma questão de horas para que Senna fosse considerado legalmente morto e foi isso o que aconteceu. Depois de sucessivas paradas cardíacas, o coração de Ayrton Senna para de bater definitivamente e a morte do piloto é anunciada.
          A morte de Senna deixou um vazio no coração de muitas pessoas que até hoje não foi  e nem será preenchido. Os dias que se seguiram a morte do piloto foram de extremo pesar, algo nunca antes vivido na História do Brasil. A Fórmula - 1 é um esporte que gera muito, muito dinheiro, mais dinheiro até do que o Futebol. É tanto, mas tanto dinheiro em jogo que um trabalhador brasileiro que vive de salário mínimo e pai de família não tem condições de ir com a família assistir a corrida. Senna e muitas outras pessoas foram vítimas da ambição de homens que queriam apenas o dinheiro, ignorando qualquer norma e pessoa. Infelizmente, foi preciso que uma pessoa que trouxe tanta alegria e coragem a muitas pessoas morresse para que medidas rigorosas de segurança fossem adotadas. Deve-se reconhecer que depois da morte de Senna não houve muitos acidentes graves ou até mesmo fatais de lá para cá, mas nem isto é capaz de preencher o vazio deixado por Senna.
          Medidas de segurança foram tomadas para que acidentes - fatais ou não - não mais viessem a se repetir, mas a solução mesmo para que as desigualdades e demais irregularidades no mundo não mais venham a acontecer não é a reforma na estrutura deste sistema feroz e insustentável: É a queda deste sistema feroz e insustentável.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...